Estaria o MP3 morto ou querem acelerar sua morte?

Há diversos sites noticiando que o formato MP3 está morto e que a nova onda são os formatos AAC e Ogg por serem superiores ao “finado”. Para falar a verdade, os formatos até são superiores, porém, o que determinará a morte do MP3 é a demanda e não especulações jogadas ao vento.

O que acontece é que as patentes do MP3 acabaram de expirar e o formato se tornou um formato livre. O que significa que qualquer um pode trabalhar nele sem precisar pagar pelos direitos autorais. A empresa que até então era detentora de seus direitos, a Fraunhofer Institute, anunciou que ia encerrar programa de licenciamento, até porque não faz sentido continuar licenciando algo que é livre, e passaram a focar no formato que eles possuem participação, o AAC.

Apesar do Ogg ser um formato livre com ótima qualidade, está disponível há alguns anos e até hoje não conseguiu superar o MP3 mesmo com previsões de “especialistas” a seu favor. Se eu perguntar o que é Ogg, garanto que muita gente não saberá responder.

O negócio é que a maior parte dos usuários são resistentes às mudanças e se o formato MP3 vem atendendo suas necessidades, não há motivos para mudar. Ele pode até estar velho e caminhando com ajuda de uma bengala, mas ainda vai demorar um pouco para morrer de fato.

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe um comentário