Pesquisadores da IBM armazenam dados em um único átomo

Pesquisadores da IBM e do Instituto Federal de Tecnologia Suíço (EFPL) desenvolveram um novo tipo de mecanismo de armazenamento de dados que usa um átomo como um bit. Os avanços poderiam melhorar significativamente a eficiência do armazenamento de dados, mas a tecnologia está longe de estar pronta para o mercado.

Em um artigo publicado na Nature, cientistas descrevem como eles conseguiram demonstrar a estabilidade magnética em um único átomo transformando-o em um dispositivo de armazenamento. Um bit é a menor unidade de dados e, por sua vez, possui um único valor binário (zero ou um). Para armazena-lo nos discos rígidos atuais, necessita-se de área com cerca de 100.000 átomos.

O problema é que a tecnologia não estará disponível tão cedo, pois para chegar a este resultado, os cientistas precisaram precisaram de condições especiais. Eles utilizaram o hólmio, um metal raro com a mais elevada propriedade magnética, resfriado a 5 Kelvin (-268,15ºC) e tiveram que confiar em um microscópio especial para ler os dados.

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •