Divulgação da WikiLeaks faz empresas de tecnologia buscarem soluções de segurança

Depois que o WikiLeaks divulgou ontem (07/março), os 8.761 documentos sobre a ciberespionagem da CIA, se aproveitando das brechas de segurança dos aparelhos eletrônicos, as empresas de tecnologia aceleram a busca por soluções contra invasão de aparelhos, tais como: smartphones, notebooks e até televisores.

A empresa Avast, uma das mais conhecidas produtoras de software antivírus, solicitou à Apple e Google que concedessem acesso privilegiado a seus dispositivos, para que ela possa criar soluções imediatas contra falhas.

Em uma entrevista por telefone à Reuters, Sinan Eren, o vice-presidente da Avast, disse:

Podemos evitar ataques em tempo real se nos derem os ganchos de acesso ao sistema operacional

Se pudermos inserir uma mudança de paradigma graças à qual as plataformas móveis não impeçam o acesso, será melhor para detectarmos quando hackers estão se escondendo em um celular

A Avast foi citada em um documento classificado como secreto, dentre os documentos vazados da WikiLeks, como um dos fornecedores de segurança visados pela CIA.

Nesta quarta, as autoridades das áreas de espionagem e policiais dos EUA informaram que estão cientes desde o final do ano passado sobre as falhas de segurança exploradas pela CIA e que foram reveladas pelos documentos vazados pelo WikiLeaks. Esse documentos possuem conteúdos técnicos suficientes para muitas empresas admitirem falhas de segurança.

fonte: Reuters

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •