Cientistas armazenam 215 petabytes de dados em DNA

Um dos maiores problemas da tecnologia atual está em armazenar e manter a integridade da enorme quantidade de dados produzidos pela sociedade. Por isto ainda é muito comum o uso de fitas magnéticas e discos rígidos no setor empresarial. Felizmente, parece que, pelo menos este problema pode estar chegando ao fim.

Recentemente, Yaniv Erlich e Dina Zielinski, pesquisadores da Universidade de Columbia e do Centro de Genoma de Nova York foram capazes de armazenar um sistema operacional, um filme francês de 1895 entre outros dados em cadeias de DNA e recuperaram sem qualquer perda de dados.

Eles não só conseguiram armazenar um total de 215PB de dados em uma única grama de DNA como também conseguiram provar que esses dados podem ser copiados e recuperados sem erros em uma quantidade de vezes que beira o infinito.

Os pesquisadores estão apenas nos primeiros dias e o custo disso ainda é muito alto ainda, porém, se depender de empresas como o Google e a Microsoft, que precisam lidar com inimaginável quantidade de dados, esta solução pode se tornar economicamente viável.

 

 

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •